2. MELHORES PRÁTICAS PARA DESENVOLVIMENTO DE SERVIÇOS DIGITAIS

As chamadas “startups” impuseram um ritmo acelerado de inovação no campo dos serviços digitais, sendo capazes de entregar novos produtos com rapidez além de responder com agilidade aos feedbacks e aos ajustes demandados por seus usuários, adaptando sua tecnologia e seu modelo de negócio a realidade, independente do plano que fora traçado originalmente para sua empreitada.
Neste capítulo investigaremos as melhores práticas para o desenvolvimento de serviços digitais, em primeiro lugar, das práticas introduzidas pelas “startups enxutas” (lean) para o desenvolvimento de tecnologia, e quem vem influenciando cada vez mais governos no desenvolvimento de seus serviços. Em seguida conheceremos as experiências de dois desses governos, o britânico e o estadunidense, que implementaram políticas de desenvolvimento de serviços digitais fortemente baseadas nessas experiências do mercado.
Para cada uma dessas experiências governamentais, estudaremos o histórico de motivação que os levaram a mudar radicalmente a abordagem no desenvolvimento dos seus serviços digitais, e apresentaremos os quadros de boas práticas formulados por eles.
No final do capítulo faremos um apanhado das principais características dessas experiências para formular um conjunto de melhores práticas comuns a todas elas e que servirão de base para o restante do trabalho, quando avaliaremos a possibilidade dessas práticas serem aplicadas pelo governo brasileiro no desenvolvimento de seus serviços.

ÍNDICE