A maravilha das concessões de Rádio e TV

Absurdo!

Enquanto a PF fecha uma rádio livre no Acre, em uma ação bem polêmica, o Ministério das Comunicações dá mais uma concessão de TV a Igreja Renascer (matéria da Folha abaixo), mesmo com os líderes da igreja sendo acusados de contrabando de dinheiro nos Estados Unidos – entre outras acusações…

Será que vão ser mais quatro anos desse jeito?

Leo,,

Apesar dos escândalos envolvendo os líderes da Igreja Renascer em Cristo, o governo federal acaba de conceder à instituição um canal de TV.
Em portaria publicada no “Diário Oficial” de anteontem, o Ministério das Comunicações autorizou a Ivanov Comunicação e Participações Ltda. (empresa registrada no mesmo endereço da sede administrativa da igreja) a retransmitir em Vila Velha (ES) os sinais gerados pela Fundação Evangélica Trindade, concessionária do canal 53 em São Paulo.
A Fundação Trindade foi criada pela Renascer nos anos 80 especificamente para obter uma geradora de televisão “educativa”, que não exige concorrência pública. Com a geradora em São Paulo, que tem o nome comercial de Rede Gospel, a igreja pediu ao governo, no ano passado, uma série de retransmissoras (que também não requerem licitação), como a que conquistou em Vila Velha. O canal na Grande Vitória será o quinto da Rede Gospel.
Os líderes da Renascer, bispa Sonia e apóstolo Estevam Hernandes, são acusados nos EUA de contrabando de dinheiro e depoimento falso à polícia. Em São Paulo, promotores os acusam de usarem doações de fiéis para aquisições pessoais, como haras e casa de praia nos EUA.
A Igreja Renascer não comentou as acusações contra seus líderes. O Ministério das Comunicações também não comentou o assunto.

(Folha de S. Paulo – Ilustrada 31 de janeiro de 2007)

ATUALIZAÇÃO: O MiniCom suspendeu a concessão da TV em Vila Velha e outras relacionadas a igreja, mas as suspensões só serão definitivas se houver uma investigação e for encontrada alguma irregularidade no processo

A maravilha das concessões de Rádio e TV

Atividades no SecondLife

Hoje vou experimentar fazer duas coisas no SecondLife.

As 14h, horário de Brasília, uma oficina de contrução de objetos lá dentro. Vamos ver se alguém aparece.

A partir das 16h vai rolar a retransmissão do CiberSalão BH. Evento que vai rolar lá no espaço estilingue, em Belo Horizonte. Veja o flyer

“um papo sobre as possibilidades reais das tecnologias da comunicação e informação. ”

+ Sergio Rosa (overmundo.com.br)
+ Daniel Pádua ( xemele.cultura.gov.br/documentador )
+ Jorge Rocha (Fumec)
+ Richardson Pontone (Uni-BH)
+ Pedro Zaz (brazcast.tv/)

Procurem pelo vitorio federal

Leo,,

Atividades no SecondLife

A primeira guerrilha da blogosfera

Postado por Carlos Castilho em 8/1/2007 às 11:47:15 PM

Esta é a primeira vez na curta história dos weblogs que um movimento internacional de solidariedade cria uma situação que alguns já classificam com a primeira guerrilha da era dos blogs.Spocko´s Brain, especializado em crítica da mídia e que foi retirado da rede pelo seu hospedeiro por pressão da Disney Corporation, pouco antes do natal.

A empresa do Mickey Mouse reagiu à campanha do Spocko´s Brain contra o programa de entrevistas transmitido pela radio KSFO, uma afiliada da rede ABC controlada pela Disney. McNash foi acusado de violar os direitos autorais da radio ao gravar e reproduzir no seu blog comentarios onde os apresentadores apoiam abertamente a tortura como método para obter confissões de presos, simularam o enforcamnento do editor do The New York Times, Bill Keller, numa cadeira eletrica defeituosa, fazem piadas de mau gosto sobre o islamismo e propoem outros absurdos como amarrar baterias vendidas pela loja Sears aos testículos de descendentes de africanos.

A reprodução de dezenas de trechos de programas de entrevistas da KSFO pelo blog irritava a Disney mas esta só resolveu deflagrar uma guerra contra o Spocko´s Brain quando ele começou a mandar cartas para os anunciantes da emissora com o conteudo gravado. A reação de empresas como a a VISA, Mastercard, Bank of America e AT&T foi imediata, pois elas e mais dez outras, suspenderam as inserções publicitárias chocados com o teor das gravações.

A Disney resolveu atacar afirmando que o blog usava indevidamente material sonoro protegido por direito autoral. A justiça aceitou o pedido e ordenou que McNash tirasse do ar o audio das entrevistas, admitindo que toleraria a publicação de transcrições.

Mas o autor do Spocko´s Brain resolveu topar a briga no melhor estilo David contra Golias alegando que se tratava de material de interesse jornalístico e que a distinção entre áudio gravado e transcrição era uma idiotice completa, porque o conteudo era o mesmo.

O que parecia uma batalha perdida acabou dando origem a uma rebelião de blogueiros que passaram a reproduzir todas as gravações que a Disney impediu McNash de publicar. Até a noite de segunda feira (8/1) o material já havia sido publicado em blogs de Hong Kong, Arábia Saudita, Inglaterra, Suécia, Rússia e França.

A imediata notoriedade obtida pelo Spocko´s Brain lhe garantiu convites de pelo menos cinco provedores de acesso à internet interessados em hospedar o blog, que antes era praticamente desconhecido.

A grande impresa norte-americana está tratando o tema com luvas de pelica porque as consequências do caso são explosivas. Se a moda pega, vai crescer o patrulhamento dos programas tipo talk show onde a maioria dos apresentadores norte-americanos não esconde sua opção conservadora.

Acusando o golpe, a Disney resolveu não fazer mais comentários sobre o episódio tentando minimizar os efeitos da propaganda negativa. O Spocko´s Brain voltou a ser publicado no dia 6 de janeiro noutro provedor.

A primeira guerrilha da blogosfera

A Revolução da Economia

Lá na argentina, por acaso, me deparei com o novo livro de Alvin Toffler. Não comprei, esperando comprar aqui no Brasil em português, mas descobri que o livro ainda não foi lançado por aqui… (apesar de no site do autor constar a versão brasileira para “Agencia Siciliano Livros e Revistas”, não encontrei nada)

Alvin Toffler, e sua esposa Heidi, são umas das pessoas que mais entendem as transformações que estão acontecendo na sociedade atualmente. Eles fazem uma análise a partir do ponto de vista da economia, mas não restrita a ela. Falam sobre comportamento, família, cultura, etc. Alvin também foi um dos primeiros a enxergar essas mudanças. Em 1973 ele já escrevia:

“O que estamos vendo hoje não é simplesmente um distúrbio econômico, mas algo muito mais profundo, algo que não pode ser compreendido dentro do escopo da economia convencional. É por isso que cada vez mais grandes economistas reclamam que “as regras antigas não funcionam mais”. O que estamos vendo é uma crise geral do ‘industrialismo’ – uma crise que transcende as diferenças entre o capitalismo e o comunismo soviético, uma crise que está, ao mesmo tempo, rompendo com nosso sistema de valores, nosso senso de espaço e tempo, nossa epistemologia, assim como a economia. O que está acontecendo é, nem mais nem menos, a queda da civilização industrial no planeta e a primeira aparição fragmentada de uma ordem social completamente nova e drasticamente diferente: uma civilização super-industrial que será tecnológica, mas não mais industrial.” Tradução livre de trecho do livro The Eco-Spasm Report – 1973

O interessante é que, diferente de vários outros visionários, ele ainda está na ativa e não ficou ultrapassado. Em 93, em palestra aqui no Brasil, falou de muitas coisas interessantes, atualizando sempre seu discurso a realidade atual – que normalmente comprova que ele estava certo desde o começo.

“Em breve será possível trazer cerca de 500 canais diferentes à maior parte das residências nos Estados Unidos. Cada pessoa vai vasculhar a oferta e selecionar dois ou três canais que normalmente sintonizará. Contudo, os meus três canais serão diferentes dos seus três canais, e os seus serão diferentes dos dos seus vizinhos, e assim por diante. Nenhuma rede de televisão conseguirá mais atingir, com regularidade, um terço da audiência, porque essa audiência estará distribuída entre mais de 500 canais disponíveis, e não apenas três. Para abastecer esses 500 canais haverá um aumento, e conseqüente diversificação, dos estúdios de produção. A conseqüência de tudo isso é que a produção, a distribuição e o consumo do entretenimento e da informação serão altamente diferenciados. ” Resumo da palestra feito po Eduardo Chaves

revolutionarywealth_sm.jpgE será que o velinho conseguiu absorver o que trouxe a internet? o software livre? etc… tudo indica que sim. Em um site portugûes, que vende seu novo livro “A Revolução da Economia”, achei essa síntese:

Neste texto, descobrimos as muitas ligações escondidas que existem entre os desportos extremos, as bolachas de chocolate, o software Linux, e como a -complexidade excessiva- em que a nossa sociedade vive e as mais vulgares transformações económicas irão ter implicações na sociedade, na política, na cultura, nas instituições e nos valores.

Já encomendei.. deve estar chegando em breve…

A Revolução da Economia

Pinguin e cidadão comum

São Paulo, 8 de janeiro de 2007. Loja Kalunga da Av Paulista.

Entro para comprar papel sulfite (reciclado) e sou hipnotizado por lindos monitores LCDs… alguns segundos mais percebo que todos exibem um quase bonito fundo de tela de algo que parecia um linux Kurumin. Mais alguns segundos ainda e, me aproximando, vejo que se trata do Computador Para Todos.

De orelhada ouço o rapaz perguntando para o vendedor, se esforçando para mostrar para mãe que sabia do que estava falando e logo saberia como gastar bem o dinheiro dela:

– e esse processador… ele é… assim… aguenta bem o windows xp?

O vendedor diz que é bom.. e que se pode ampliar a memória RAM e tal, mas explica que o computador já vem com linux, que tem todas as funcionalidades..

– a tendência agora é o mercado começar a usar cada vez mais linux.. daqui a uns 2 anos vai ser tudo linux…

O rapaz ficou meio desconcertado, fez algumas perguntas e saiu…

Dois passos para a esquerda um outro perguntava sobre umas impressoras HP. Depois das perguntas de prache de um cidadão comum como “ela é econômica?”, “posso configura-la pra imprimir só rascunho?”, “vem com tinta?”, veio a não tão usual: “Tem compatibilidade com linux?”

– Creio que sim, fulana ali sabe dizer, ou podemos ver no site, mas tenho quase certeza que sim.

E assim vai …

Leo,,

Pinguin e cidadão comum