Por que Belo Monte é uma péssima alternativa

Depois do polêmico leilão que definiu quem vai construir a hidrelétrica de Belo Monte, o debate sobre a usina tomou conta da sociedade.Vale dizer que o debate chegou meio tarde, deveria ter acontecido antes, muito antes, do leilão.

A questão é muito controversa e a maioria das pessoas fica com aquela interrogação na testa sem conseguir resolver o dilema da necessidade de geração de mais energia versus os impactos ambientais da usina.

Eu vou colocar aqui algumas justificativas do por quê eu sou contra a construção da usina.

Repotencializar as hidreletricas existentes requer um terço do investimento da construção da nova usina e gera mais energia

Pra mim só esse ponto já é suficiente pra acabar com o debate.

O estudo foi feito pela WWF (download do pdf) e mostra que com a repotencialização pode-se ampliar em 7.600MW o quadro de produção de energia. A previsão de geração de energia de Belo Monte é de 4.400MW, apesar de ter capacidade para 11.000, fazendo dela a usina menos produtiva e mais cara do país.

Muito além do alagamento

O impacto mais óbvio e mais discutido é a construção da barragem, o alagamento de terras indígenas e a redução no fluxo do rio, causando morte de peixes e modificando radicalmente o ecossistema da região. Ou seja, os índios e comunidades que não forem desapropriados, vão ver o rio, fonte de água, fonte de alimento, meio de transporte, etc. morrer aos poucos.

Mas os impacots só começam aí

Milhares de homens

O argumento que diz que a construção da hidrelétrica traz desenvolvimento é falso. Digo, falso, e não mentiroso, porque ele traz algum desenvolvimento, mas não o desenvolvimento que a sociedade espera e gostaria.

Imagine uma pequena cidade ou vilarejo, que, do dia para a noite, recebe muitos milhares de homens (homens, sem mulheres) para iniciar uma obra. Onde essas pessoas vão morar? Pra onde vai o esgoto de todas essas pessoas? Onde essas pessoas vão se divertir?

Acompanhei, um pouco de perto, através de relatos de amigos, este mesmo processo acontecendo em Juruti Velho, com a construção da mineradora da Alcoa. Ouvi muitas histórias de rios poluídos pelos esgotos dos canteiros de obras, prostutuição infantil, violência, surgimento de doenças que nunca haviam aparecido na região, etc.

E depois que a obra termina? Esses operários ou vão embora, ou ficam lá sem qualificação para, de fato, trabalhar na usina. E assim, mais uma vez, irresponsavelmente, e criado um centro urbano caótico, pobre e precário no meio da floresta.

Alternativas

Precisamos de mais energia, e isso não se discute. O que se discute é se essa energia vai servir, primordialmente, grandes empresas estrangeiras, como a Alcoa. Descobriu-se que a amazônia não é um reduto apenas de árvores e água, mas de muito minério. Podem esperar nos próximos anos a instalação de mais mineradoras na região que vão precisar de muita energia elétrica para trabalhar…

Essa é outra discussão. Mas precisamos, de qualquer forma achar alternativas para a geração de energia sem tantos impactos ambientais. Belo Monte é uma alternativa – a pior alternativa. Em pleno século XXI fazer uma obra dessa magnitude no coração da mais importante floresta tropical do mundo é uma irresponsabilidade sem tamanho. Com a usina vem uma cidade, pessoas, estradas, desmatamento, poluição, esgoto e tudo mais de bom e de ruim que um centro urbano tem.

Algumas informações adicionais sobre Belo Monte: http://mercadoetico.terra.com.br/arquivo/mentiras-e-verdades-sobre-belo-monte/

Anúncios
Por que Belo Monte é uma péssima alternativa

8 comentários sobre “Por que Belo Monte é uma péssima alternativa

  1. Douglas disse:

    VI comentários contrários sobre a obra em vários sites…inclusive em campanhas à presidência…Porém, não encontrei em nenhum lugar, nem no seu texto, uma alternativa quantitativamente viável! Não há estudos de que haja uma outra alternativa que traga menor impacto sócio-ambiental e que tenha o mínimo necessário de kilowatts a mais para garantir o não-apagão…

    Curtir

  2. Ótima iniciativa, Parabéns!
    Temos mais é que reunir argumentos… Pq o videozinho com os globais pode até ajudar a ‘espalhar’ a questão, mas não convence a fundo. Alguns links:

    – Liliane Brum entrevista prof. dr. Célio Bermann (USP) – http://revistaepoca.globo.com/Sociedade/noticia/2011/10/belo-monte-nosso-dinheiro-e-o-bigode-do-sarney.html

    – Vídeo-entrevista com profa. dra. Marijane Lisboa (PUC-SP) – http://www.youtube.com/watch?v=LhOqJ_aS1pM

    – Curta (não-global!) sobre os impactos: http://vimeo.com/24075807

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s