Archive | maio, 2008

BBC: Programas online não tiram audiência da TV

28 mai

Ainda dando uma olhada nas coisas do Euro zeitgeist, achei esse relato abaixo bem interessante. Ashley Highfield, da BBC, fala com detalhes da experiência do iPlayer.

Trata-se de uma seção do site da BBC onde visitantes têm acesso a todos os programas da rede BBC que foram ao ar nos últimos 7 dias, “tornando o imperdível imperdível!”, como diz o slogan deles.

Além de assistir pelo site, você também pode fazer o download do arquivo para seu computador, mas para isso vai precisar do Windows XP ou VIsta e do Download Manager deles. Tudo isso por causa do DRM que eles usam, que garante que você tenha no máximo 30 dias para ver o vídeo – e 7 dias a partir do momento que você der o play a primeira vez.

Mas o que mais me interessou foi o fato de que a audiência on line, que já esbarra 1 milhão de programas assistidos por dia, não compete com a audiência da TV tradicional que, segundo Ashley, “ironicamente cresceu no mesmo período [desde que o iplayer foi ao ar”.

Pra quem se interessou em assistir a BBC a partir de agora, vale lembrar que o serviço só pode ser acessado, em teoria, de dentro do Reino Unido. Mas, você sabe, sempre tem como dar um jeitinho…

Leo,,

Novo Plugin para wordpress – Post Tabs

28 mai

Publiquei meu sexto plugin para wordpress! é o post Tabs, que foi feito já pensando em um blog que conto depois qual é.

É um plugin bem legal, que permite que você divida o conteúdo do seu post em abas, igual aqui embaixo ó:

[tab:Primeira aba]

Oi, eu sou o texto da primeira aba! Nnonono onon ononon on onon ononon on onon ononon on onon ononon on onon ononon on onon ononon on onon ononon on onon ononon on onon ononon on onon ononon on onon ononon on onon ononon on onon ononon on onon ononon on onon ononon on

[tab: Outra aba]

Pode ter foto ou qualquer coisa dentro de uma aba!

[tab:Aba com vídeo]

Até vídeo pode ter!

Novos vídeo-tutoriais do cinelerra

26 mai

Até que enfim consegui publicar novos vídeo-tutoriais do cinelerra. Agora já tem uma coleção bem completa!

http://www.estudiolivre.org/tiki-index.php?page=cinelerraVideoTutoriais

Leo,,

Autismo, secondlife e internet

21 mai

via efeefe

Mais um exemplo incrível de como a internet abre espaço para diálogo entre pessoas que normalmente não conversam – e como cada lado da conversa pode falar por si mesmo, sem a necessidade de representantes.

O vídeo abaixo é uma reportagem sobre como autistas estão usando a internet, especialmente o Second Life, para se encontrarem e interagirem. Uma das coisas mais impressionantes é ver que existe a “Autistic Liberation Front” (Frente de Libertação dos Autistas), um grupo de autistas ativistas que se reúne para debater suas questões e defender que eles não querem nem precisam ser “curados”!

Neste vídeo você já encontra algumas afirmações chocantes de uma mulher autista que usa um teclado de computador e um sintetizador de voz para se comunicar e diz: “Só quando escrevo alguma coisa na linguagem de vocês é que as pessoas acreditam que ela esteja se comunicando”. Curioso notar também que ela gastou um tempão para deixar seu personagem no SecondLife com os mesmo tiques que ela tem.

Ela coloca que autismo não é uma deficiência (disability), mas sim uma outra habilidade, e questiona a visão que as pessoas normais têm dos autistas, argumentando que o fato deles não aprenderem a “nossa língua” é considerado uma anormalidade, enquanto que o fato de nós não aprendermos a língua deles – dos autistas – é normal.

Mas o mais impressionante pra mim foi assistir a um vídeo que ela mesmo (A. M. Baggs) fez, intitulado “In My Language” (Na minha língua), que coloco aqui abaixo.

O vídeo é dividido em duas partes. “Na minha língua” e “Tradução”. Na primeira parte acompanhamos cenas dela interagindo com o ambiente e cantarolando uma melodia. Na segunda parte entram outras imagens e o som de uma voz sintetizada a partir de um texto que ela escreveu em um computador – legendas tb aparecem pra facilitar o entendimento.

E assim começa o texto: “A primeira parte deste vídeo foi em minha língua nativa. Muitas pessoas acharam, quando eu disse que essa era minha língua, que cada parte do vídeo teria uma mensagem simbólica para ser interpretada pela mente humana. Mas a minha língua não tem nada a ver com projetar palavras, ou símbolos visuais para as pessoas interpretarem. Tem a ver com estar em uma conversa constante com cada aspecto do ambiente.” Parece que estamos conversando com alguém de outra dimensão!

E ela segue fazendo afirmações desconcertantes sobre como as pessoas acham que os autistas não pensam, só porque tem uma maneira particular de se relacionar com o mundo. Em um momento ela desafia: “Se você me encontrasse na rua acreditaria que fui eu quem escreveu esse texto?”.

Faz pensar.

Leo,,

links dos videos

A Rainha da Jordânia e o Youtube

20 mai

“Em um mundo onde é tão fácil nos conectarmos, nós ainda estamos bem desconectados.” É como começa o vídeo de abertura do canal da rainha Rania da Jordânia no Youtube.

Ela decidiu usar a internet como ferramenta de diálogo para quebrar os estereótipos que os ocidentais têm dos árabes e vice-versa. Começou com um vídeo convocando as pessoas para mandar seus estereótipos para ela. Desde então vem sistematicamente publicando vídeos sobre os mais diversos temas, como por exemplo, as mulheres árabes e a relação entre islamismo, os árabes e o terrorismo.

No vídeo abaixo ela etá no Google Zeitgest 2008, falando sobre sua experiência como vlogger, e chamando todos para colaborarem para que a internet seja usada como ferramenta para que as diferentes cultura se conheçam e se respeitem. “Existe um mundo incrível lá fora que não podemos apreciar presos a estereótipos”.

O discurso dela é muito forte quando ela diz que existe uma ânsia e uma urgência por diálogo no mundo hoje. E nada mais óbvio e eficiente do que pensar na internet como a ferramenta de diálogo – de um diálogo horizontal entre cidadãos comuns, e não de diálogos institucionais e políticos entre “nações”.

“Eu percebi que se eu conseguisse passar minhas ideias para o mundo online eu poderia atingir massas, e poderia atingir uma parte da população que normalmente não atinjo, que são os jovens, que não se informam através dos meios tradicionais de comunicação

E eu acredito que são os jovens que podem ser os agentes da mudança. Eles são a força de trabalho que podem fazer essa mudança mental que precisamos quando queremos quebrar os estereótipos…”

E para isso, não existe melhor linguagem do que o vídeo: “eu posso falar horas sobre as mulheres árabes, mas não é a mesma coisa do que ver as professoras, ministras, taxistas, etc.. falando por elas mesmo. Faz você rever seus preconceitos”

Gostei.

Leo,,

MTV insulta sua audiência

18 mai

“Você é um ladrão como qualquer outro se escuta música baixada ilegalmente!”.

Que beleza, hein MTV. Assim me dá muita vontade de assistir.

via Remixtures

Leo,,

Perdi o remoto do meu controle! Acorda!

2 mai

Mandei esse e-mail para a produção do filme “Anjos do Sol” – que por sinal é excelente.

“Aluguei esse filme que há tempos queria ver.

Na época em que saiu no cinema morava em uma cidade que não tem nenhuma sala.

Quando coloco o DVD pra tocar, sou obrigado a assistir ao anúncio de uma pousada em Paraty e não consigo pular o trailer.

Paro o filme e o retorno a locadora sem pagar.

Já me basta quando me fazem de otário no cinema, onde mesmo pagando um ingresso caríssimo sou obrigado a ser bombardeado com propagandas em uma tela gigante e um sistema de som potente.

Mas na minha casa não! É o cúmulo.

Vcs percebem a estupidez que é isso?

Como podem reclamar de partilha de filmes na internet?? Na locadora (ou se comprasse o filme) sou feito de otário, ao passo que em comunidades de partilha, onde as pessoas estão realmente interessadas no filme, o encontro em boa qualidade, com links interessantes, legendas e etc.. todo um conjunto de esforços para que eu possa assistir ao filme da melhor forma possível. Enquanto que a maneira “correta” e “oficial” me trata como um imbecil que não vai se importar nem de perder as rédeas do próprio controle remoto.

E digo mais. Filmes nacionais como esse, produzidos com dinheiro público, deveriam estar todos disponíveis online – e não sendo aprisionados em leis e direitos que beneficiam distribuidoras gringas.

Quem ganha quando se falseia essa escassez!? Com certeza não ganha as pessoas que mais batalharam para produzir esse filme e espalhar essa realidade. Duvido também que ganhem quem trabalhou pesado em sua produção. Aposto que ganham atravessadores.

Não percebem que basta sair das capitais e achará a maioria das cidades sem cinemas? E as que tem cinemas nunca passaram esse filme! E muitas não têm nem locadoras… Essas pessoas, então, não podem/devem ver esse filme?

Elas não tem cinema, locadora, mas tem internet.

Porra.

Leo,,”

ps – pra quem ficou curioso:

link pro download: http://www.makingoff.org/forum/index.php?showtopic=853&hl=anjos
link oficial: http://www.anjosdosol.com.br/home.html