Archive | junho, 2004

Que que você quer saber de Software Livre?

4 jun

Estou aqui em Porto Alegre para o maior evento de software livre da America Latina (Forum Internacoinal de Software Livre) e digo uma coisa para vocês: Isso aqui não interessa só a programadores, hackers ou nerds em geral.

O que software livre tem a ver com você então? Por que aqui no forum, além de discussões técnicas, há muita, e muita mesmo, discussão sobre temas como rádios livres, cinema, música, fotografia, até mesmo biologia? Por que Jorge Furtado, coneasta, estava dando palestra se ele não entende nada de computador?

A resposta é a segiunte: Software Livre não tem só a ver com computador. Software livre é uma expressão (talvez a primeira, talvez a precursora) de um movimento de mudança na produçao cultural (sim, software também é cultura).

Qualquer participante do Forum sabe muito bem quais são essas mudanças que o SL aponta; Todos sabem que a palavra chave para denominar este evento está longe de qualquer termo técnico; a palavra-chave é Liberdade.

Liberdade de produzir, liberdade de se apropriar e recriar, liberdade de distribuir. O que todo mundo está falando aqui é que ninguém quer ficar a merce de uma ou poucas empresas para terem acesso a conhecimneto ou cultura. O que todos estão falando aqui é que a produção cultural não pode ficar na mão de poucas pessoas, tem que ser descentralizada. O que todos estão falando aqui é que ninguém inventa nada, todos recriam, transformam, reciclam, reinventam e remixam cultura. Em resumo, conhecimento não pode ser prorpriedade de uma empresa. Conhecimento só tem valor quando é trocado.

Tanto isso é verdade e consenso entre palestrantes, organizadores e participantes que o maior evento do forum, que será hoje, não tem nada a ver com software. Em evento que foi até destaque na Folha de São Paulo de ontem, Gilberto Gil (que provavelmente também não entende nada de computador) participará do lançamento oficial do Creative Commons no Brasil.

Resumindo, Creative Commons disponibiliza licenças que qualquer um pode usar para colocar em suas obras (livros, vídeos, músicas, etc…). Estas licenças são uma flexibilização do Copyright, que proibe tudo: Você não pode copiar, não pode usar um pedaço para fazer uma nova obra, não pode distribuir, enfim… é tudo não. Em alguns casos, mesmo que o autor da obra não se importe que outras pessoas se utilizem da sua obra, os impedimentos burocráticos são tantos que impedem sua livre utilização por outros artistas. Nessa situação o copyright atrapalha a produção cultural, ou seja, o direito autoral, nessas situaçãoes, impede a evolução e a trasnformação da cultura. Ao invés de ser um fator de proteção da cultura, se torna em um elemento que amarra a produção intelectual.

Gilberto Gil, em um ato simbólico mas que, sem dúvida, terá muita repercussão, ajudará a propagar mais a importância de se garantir uma cultura livre. Preocupação que já está na cabeça e na atitude de milhares de pessoas ao redor do mundo.

Agora deixa eu ir que o evento está bombando…